terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

A Cidade do Sol

Mais uma vez, lendo um romance afegão, me surpreendi com a tamanha sensibilidade de Khaled Hosseini - autor de: A Cidade do Sol e O Caçador de Pipas -, que, como afegão, nascido na capital Cabul, pôde como ninguém transmitir ao mundo, ainda que em obra de ficção, a dor e a opressão que se passa em seu país, principalmente em relação às mulheres. Nesta, que foi a sua segunda obra, ele transporta o leitor a um Afeganistão que já foi orgulho nacional por suas campinas, mesquitas, liberdade e uma leve igualdade entre homens e mulheres, isso é claro, antes da invasão soviética em que muitos jovens inocentes foram 'arrancados' de suas famílias e forçados a lutar em uma guerra a que não pertenciam, enquanto viúvas e moças eram estupradas e humilhadas por soldados e aproveitadores. Porém depois de derrotar os soviéticos, a guerra continuou entre os próprios afegãos que se destruiam mutuamente em guerras civis por pertencerem a esse ou aquele partido. Por querer enfatizar o papel da mulher em seu país, Hosseini traz duas mulheres, até então, desconhecidas - Mariam e Laila, que o destino se encarregou de uni-las -, como protagonistas neste best-seller que, mais uma vez, faz lacrimejar os olhos do 'pobre leitor'. (AA)

Um comentário:

Martim disse...

Adorei o livro tanto quanto "O cacador de pipas". Podem acusar o escritor de usar formulas manjadas, mas eu adoro seu estilo de literatura, leve e profundo ao mesmo tempo, na medida certa para uma boa leitura...

Seguidores